Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Institucional Espaços da Secult Museu da Imagem e do Som de Alagoas - MISA Museu da Imagem e do Som de Alagoas - MISA

Museu da Imagem e do Som de Alagoas - MISA

O Museu da Imagem e do Som de Alagoas – MISA , foi criado em 3 de setembro de 1981, tendo sido idealizado pelo teatrólogo Bráulio Leite Júnior, à época presidente da Fundação Teatro Deodoro – FUNTED, segundo destaca o escritor Miguel Vassalo Filho. Integrante da estrutura funcional da Secretaria de Estado da Cultura – SECULT, compõe com as demais instituições museólogicas, a saber, o organograma dos espaços de memória: Museu Palácio Floriano Peixoto – MUPA, Memorial à República – MàR e Memorial Teotônio Vilela – MTV.

            O Museu da Imagem e do Som de Alagoas – MISA , foi criado em 3 de setembro de 1981, tendo sido idealizado pelo teatrólogo Bráulio Leite Júnior, à época presidente da Fundação Teatro Deodoro – FUNTED, segundo destaca o escritor Miguel Vassalo Filho.

            Integrante da estrutura funcional da Secretaria de Estado da Cultura – SECULT, compõe com as demais instituições museólogicas, a saber, o organograma dos espaços de memória: Museu Palácio Floriano Peixoto – MUPA, Memorial à República – MàR e Memorial Teotônio Vilela – MTV.

            Inicialmente, ocupou parte das dependências do Teatro Deodoro, instalando-se depois no prédio cedido em comodato pelo governo do Estado,situado à Rua Sá e Albuquerque, 275   ( Praça Dois Leões ), no histórico bairro de Jaraguá, durante a gestão do governador Guilherme Palmeira, em ato oficial  datado de março de 1982, conforme também ressalta Miguel Vassalo Filho.

            A inauguração oficial da nova sede se dá, porém, no dia 6 de março de 1987, durante a gestão do governador José Tavares.

            O edifício de características arquitetônicas do neoclássico brasileiro, foi projetado pelo engenheiro Carlos Mornay, tendo sido inaugurado no próspero governo de José Bento Cunha Figueredo Júnior, em 1869, para ser ocupado pelo CONSULADO PROVINCIAL, que nele permaneceu, de 7 de setembro de 1870 até o advento da República, em 1889. 

             Apesar do nome, sua função nunca foi diplomática, mas arrecadadora de impostos; junto às Mesas de Rendas e a Alfândega de Maceió. Do Império à República, a história do edifício confere sua importância peculiar às renovadas fisionomias que foi adquirindo até chegar à forma atual.

            Na gestão de Euclides Vieira Malta, no início do século XX, nele passa a funcionar a RECEBEDORIA CENTRAL DO ESTADO, bem como era de costume, um setor policial.

            No governo de Osman Loureiro ( 1934-39 ) o edifício abriga um corpo de guarda e, com a transferência do órgão arrecadador, inicia o processo de desgaste da construção, que vai  se acentuando até 1997, quando ocorre  nova intervenção para consolidar sua restauração.A partir de então, o prédio sofreu um processo de desgaste, passando por sucessivas reformas que lhe alteraram a fisionomia, não só da fachada posterior, mas internamente teve suas formas originais descaracterizadas, o que felizmente, não chegaram a desfigurar sua fisionomia , conforme ressalta a museóloga  Cármen Lúcia Dantas.

            Em 1999, o prédio foi beneficiado, em sua estrutura  física, pelo PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DE JARAGUÁ e em 2000, o edifício é entregue novamente à comunidade alagoana, durante a gestão da prefeita Kátia Born.

              Por alguns anos, o MISA teve suas atividades específicas atendidas plenamente, quando ocorre novo período de desgaste da estrutura arquitetônica e a suspensão do seu funcionamento.Através de recursos captados junto à Caixa Econômica Federal, novo processo de restauro e adaptação das dependências é implementado e, finalmente em 2010 os trabalhos técnico são concluídos e o museu reaberto e reiniciando suas atividades.

              O acervo do museu, como ressalta sua missão técnica, é abrigar os acervos relativos à produção da imagem e do som, realizadas em Alagoas, no Brasil e além fronteiras.     

               Presentemente, o MISA recebeu o rico acervo do radialista EDÉCIO LOPES, composto de quase 12000 itens e que se encontra abrigado em espaço específico.

               Além do seu planejamento específico de visitação, pesquisa e exposição, o MISA tem o projeto de popularização da produção cinematográfica brasileira e de eventos que dão dinamismo ao seu propósito de instituição cultural.

 

Fernando Antônio Netto Lôbo

Diretor Matrícula Nº 135387

Conteúdo relacionado
Ações do documento