Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Municípios Histórico dos municípios alagoanos Histórico do município de São José da Laje

Histórico do município de São José da Laje

Histórico, Gentílico e Formação Administrativa do município de São José da Laje - Alagoas.

A origem do povoado de São José da Laje está ligada às primeiras expedições comerciais feitas entre Porto Calvo, Porto de Pedras e outros municípios situados no litoral norte, além de algumas cidades de Pernambuco como Rio Formoso, Cabo de Santo Agostinho e Serinhaém. Sua expansão, no entanto, deveu-se realmente a motivos religiosos. Em 1828, já havia uma doação feita por José Vicente de Lima e sua mulher, Angélica de Mendonça, a São José. Eles doaram 100 mil réis de terra. O casal era dono de um antigo engenho de açúcar onde mais tarde se instalou a fazenda Boa Esperança. O contorno das terras doadas não era bem definido mas citava o rio canhoto, no ponto onde está hoje a cidade. Em 28 de julho de 1876, o povoado era desenvolvido e se chamava Laje do Canhoto. A Assembleia Provincial o elevou à categoria de vila, com o título de São José da Laje.

Para a Laje foi, também, a sede do município de Imperatriz (hoje União dos Palmares), através da Lei 737, de 1876, que terminou não sendo cumprida. Pela resolução 896, de 1886, ficou criado o município de São José da Laje, com os mesmos limites da freguesia, mas judicialmente ligado a União dos Palmares. Só com a Constituição de 1935 é que o município teve assegurada a comarca.

A procedência dos primeiros povoadores teve origem nas expedições comerciais entre os povoados de Porto Calvo, Porto de Pedras e outros situados no litoral alagoano e os de Serinhaém, Rio Formoso e Cabo no interior de Pernambuco. Isso, no início do período colonial e, posteriormente, por ocasião da passagem de tropas que tomaram parte nas lutas dos quilombos dos Palmares e invasores holandeses.

Em 1876, dado o desenvolvimento do Povoado que, naquela época, era chamado Lage do Canhoto, foi elevado à categoria de Vila, porém, a lei não foi cumprida.

Turismo: Igreja Matriz de São José(estilo Barroco).

Eventos: Festa do Padroeiro São José (19 de março), carnaval e festejos juninas.

Localização: Situa-se na Microrregião Quilombo dos Palmares, sendo seus limites: Santana do Mundaú, União dos Palmares, Ibateguara e Canhotinho (PE).

O município tem como indústria de grande porte a Usina Serra Grande. Economicamente, vem a cana-de-açúcar, a pecuária e culturas diversificadas em pequeno porte.

Gentílico: lajense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de São José da laje, pela lei provincial nº 885, de 30-06-1882.

Elevado à categoria de vila com denominação de São José da Laje, pela resolução provincial ou pela lei provincial nº 681, de 24-04-1875 e por lei provincial nº 737, de 0707-1876.

Suprimida pela lei provincial nº 956, de 13-07-1885.

Restaurado pela lei nº 986, de 28-06-1886.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído do distrito sede.

Elevado à categoria de cidade com a denominação de São José da Laje, pela lei estadual nº 681, de 16-06-1920.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1936, o município aparece constituído de 3 distritos: São José da Laje, Canastra e Piquete.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1937, o município é constituído de 2 distritos: São José da Laje e Piquete. Não figurando o distrito de Canastra.

Pelo decreto-lei estadual nº 2909, de 30-12-1943, o distrito de Piquete passou a denominar-se Ibateguara.

No quadro fixado para vigorar em 1949-1953, o município é constituído de 2 distritos: São José da Laje e Ibategura, ex Piquete.

Pela lei estadual nº 2076, de 19-11-1957, desmembra do município de São José da Laje o distrito de Ibateguara. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Fonte: IBGE

Ações do documento