Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Chegança Silva Jardim

Coqueiro Seco - Alagoas - Região Metropolitana

Nome: Chegança Silva Jardim

Data de fundação: 2001

Mestre: Luzia Simões (falecida)

Coordenadora: Lucimar

Contatos: (82) 3267-1167 / 9965-9914

Endereço: Rua João Navarro, 977 - Centro e Rua Prefeito Luiz Valeriano de Almeida, 36 - Centro

Localização: Coqueiro Seco - Alagoas - Região Metropolitana

CEP: 57140-000

Histórico

Chegança Silva JardimA Chegança segundo o folclorista Théo Brandão é um folguedo natalino, um auto marítimo, "a Versão brasileira, ou melhor, nordestina das Mouriscadas da Península Ibérica e das Danças Mouriscas da Europa".

No passado, o folguedo era apresentado em uma barca, feita de "taipa", construída nas praças ou em locais de festas natalinas, aonde o folguedo iria se apresentar. Hoje em dia já não existe mais esta estrutura. As apresentações acontecem em palanque comum ou em locais planos.

Os figurantes vestem-se como a marujada de acordo com a patente que representam: Almirante, Capitão de Mar e Guerra, Mestre Piloto, Mestre Patrão, Capitão Artilheiro, Calafate, Imediato, Gajeiro, Capitão de Fragata, Marinheiro e o Padre.
As músicas são acompanhadas por dois ou três pandeiristas, único instrumento musical do folguedo.

As partes são chamadas de "embaixadas", onde louvam o Menino Deus, a Virgem Maria ou a Padroeira do local. Narram também os acontecimentos e dificuldades ocorridos na viagem ao mar, como as tempestades, a batalha contra os mouros, a partida e a chagada ao porto.

Chegança Silva Jardim 2A Chegança "Silva Jardim" existe há muitos anos. Os moradores da cidade de Coqueiro Seco não sabem o período exato do seu surgimento. Contam que o grupo era organizado para dançar nas comemorações e festas do Natal, sendo dissolvido após os festejos.

Dona Luzia Simões, aos seus 74 anos de idade, relata que começou a dançar na adolescência e que em 2001, depois de uma gincana com os alunos das escolas municipais sobre folclore, surgiu a ideia de reativar as brincadeiras formando os grupos de chegança e de pastoril. Com alguns alunos e pessoas da comunidade local, foi criado então o grupo preservando o antigo nome do passado. Composto de pessoas de ambos os sexos, de diversas faixas etárias, tendo em média um total de 40 a 45 figurantes.

O grupo já se apresentou em vários locais e cidades próximas, durante as comemorações e festas religiosas ou cívicas, semana do folclore, em colégios e feiras.

Em 2003, o grupo participou da gravação de um DVD com o músico e compositor Antônio Nóbrega, na cidade do Recife (PE).

Recebeu em 2007 o Prêmio Culturas Populares – Mestre Duda, do Ministério da Cultura. Esta premiação resultou na gravação do CD "Chegança Silva Jardim", que contou com o apoio do Centro de Difusão e Realizações Musicais do SESC Alagoas, da FECOMERCIO/AL, do Atelier Casa 50 e da Prefeitura Municipal de Coqueiro Seco.

 

Ações do documento