Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2010 04 Governo faz entrega de prêmio de incentivo à música
09/04/2010 - 15h19m

Governo faz entrega de prêmio de incentivo à música

Com recursos do Fundo de Desenvolvimento de Ações Culturais (FDAC), serão apoiados 19 projetos para gravação de CDs e DVDs

Governo faz entrega de prêmio de incentivo à música

Foto: Thiago Sampaio / Cantor Wado foi um dos contemplados

Telma Elita

Alagoas é terra de grandes músicos. O Brasil inteiro já se rendeu às composições de Djavan e à inquietude sonora de Hermeto Pascoal. Agora, outros nomes ganham a cena. Wado, por exemplo, tem uma agenda de shows para este mês que inclui Belo Horizonte, no Festival Conexão Vivo, e Recife, em mais uma edição do Abril Pro Rock.

Talento comprovado, o governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), apoia o segmento. Nesta sexta-feira (9), o Museu Palácio Floriano Peixoto, no Centro, foi palco para a entrega do I Prêmio de Incentivo à Produção de CDs e/ou DVDs, que selecionou 19 projetos, destinando ao todo R$ 75 mil. O evento contou com a participação do governador Teotonio Vilela, que demonstrou reconhecimento aos músicos.

Afinal, nessa manhã, a música foi soberana no prédio histórico. O Salão de Despachos foi tomado por artistas como Wado, já citado, Basílio Sé, integrantes das bandas Eek, Fator 4, Radium, Mensageiros de Jah. O edital contemplou ainda os trabalhos da Xique Baratinho, Coisa Linda Sound System, A Turma da Maré e Xoteados.

A abertura do evento ficou por conta do anfitrião, o secretário da Cultura, Osvaldo Viégas. O gestor apontou a importância dos editais, forma transparente e justa de seleção. “Esse ano ainda teremos o de Patrimônio Vivo, e outros dois, voltados às artes cênicas e visuais”, ressaltou.

Formada a mesa, com a presença de membros do Conselho Estadual de Cultura, representantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e da Cooperativa de Músicos de Alagoas (Comusa), e secretários municipais, foi iniciada a entrega dos certificados. A cada nome, muitos aplausos – sinal claro de reconhecimento.

Em seguida, foi aberta a palavra aos convidados. Sóstenes Lima, presidente da Comusa, revelou a importância do trabalho pela coletividade. “Devemos nos unir para fazermos nossas reivindicações junto ao Estado e também aos municípios. Esse é um momento único, de encontro dos artistas, produtores culturais e gestores. Que seja também um espaço para discussões”, defendeu.

A diversidade dos sons alagoanos

São muitos os estilos contemplados com o I Prêmio de Incentivo à Produção de CDs e DVDs, que teve investimentos exclusivos do Fundo de Desenvolvimento de Ações Culturais (FDAC). Vai do reggae ao samba, passa pela música regional. Além disso, ultrapassa as fronteiras da capital.

O músico Ítalo John, da banda Mensageiros de Jah, ressaltou a presença do reggae nas ações da Secretaria. “Infelizmente, ainda passamos por preconceitos. No entanto, temos encontrado aqui as portas abertas. Existem sim demandas, reivindicações, mas precisamos trabalhar com união. Somos todos Alagoas”, declarou.

Com o apoio de R$ 3 mil, o Mensageiros de Jah vai finalizar o terceiro CD do grupo, Avivados. “As músicas são todas autorais e já estão prontas. Tínhamos parado o projeto por falta de recursos. Agora, seguiremos no estúdio e com a prensagem”, disse.

Do reggae ao pop rock da cidade de Viçosa. Luiz Coroado venceu com o projeto Voar, para a gravação de CD – 14 faixas. “Vai ser o primeiro da minha carreira. Já tenho 10 anos na estrada. Fazer rock no interior é muito difícil, mas a minha música já toca nas rádios da região. Temos quebrado barreiras”, conta.

Basílio Sé conquistou o prêmio com o álbum DNA Caeté. O roteiro de gravação já está pronto. Serão 12 faixas, entre elas: Labafero, A Batalha Final de Zumbi e Festa de Xangô – retratos da cultura de Alagoas.

Nessa linha de som regional, partiu também Josenildo Gomes, autor do projeto Por Causa de Você, selecionado na categoria de R$ 5 mil. “As 12 músicas são minhas. Tenho um coco carregado de modernidade, com baixo, guitarra. Aposto também na embolada”, revela. Entre as canções, Pisoteando mais Eu, que cita Arapiraca e o mestre Jacinto Silva, e Mar Azul, inspirada nas águas da cidade de Porto de Pedra.

Essa mistura de estilos envolve ainda o som da Fator 4, que parte para o segundo disco. “Estamos no final das gravações. Uma de nossas músicas, um frevo, foi selecionada no último Femusesc. Também entra neste CD”, afirma. Serão 13 faixas – 12 próprias e uma de Moraes Moreira. Agora, é só aguardar o trabalho ficar pronto. Em breve, 19 gravações à disposição dos alagoanos.

Ações do documento