Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2011 08 Exposição no Museu Palácio Floriano Peixoto apresenta a cultura alagoana
18/08/2011 - 11h01m

Exposição no Museu Palácio Floriano Peixoto apresenta a cultura alagoana

Em comemoração ao dia internacional do folclore, mostra fica exposta até setembro

Exposição no Museu Palácio Floriano Peixoto apresenta a cultura alagoana

Exposição apresenta bonecos de papel e cartazes dos mestres do Patrimônio Vivo

Valéria Guimarães

Em comemoração ao dia internacional do folclore - comemorado no dia 22 de agosto - o Museu Palácio Floriano Peixoto (Mupa) apresenta a exposição Agosto Mês do Folclore, aberta nesta terça-feira (16). A exposição traz a cultura alagoana representada através dos folguedos coco de roda, baianas, guerreiro, pastoril e nêga da costa, além de contar a história do diversificado folclore alagoano, por meio dos mestres da cultura popular.

A exposição é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), por meio da diretoria do Mupa com a coloboração de Josefina Maria, da Associação de Folguedos Populares de Alagoas (Asfopal).

Para o diretor do Mupa, José Márcio Passos é importante fazer esse retrospecto do folclore alagoano. “É importante o reconhecimento que a Secult está fazendo não somente ao folclore, mas aos mestres fazedores da cultura. Com isto, estamos disponibilizando conhecimento sobre nossa cultura aos estudantes e, principalmente, as crianças que visitam o Museu”, salientou o diretor.

Estão dispostos no hall de entrada do Museu vários bonecos de papel, produzidos por pacientes do Hospital Escola Portugal Ramalho, caracterizados de personagens de folguedos. Num trabalho simples e delicado, os bonecos representam  lendas, crenças, canções e costumes da cultura alagoana.

Além dos folguedos, a exposição faz uma retrospectiva sobre os mestres da cultura popular alagoana. São 21 cartazes produzidos pela Secretaria de Estado da Comunicação (Secom), mostrando a história de cada mestre e mestra que foram inscritos pela Secult de 2005 a 2010, no livro de Registro de Patrimônio Vivo Alagoano, promovido pelo Estado.

Os cartazes dos mestres foram criados após série de reportagens veiculadas no suplemento de notícias do Diário Oficial do Estado, com texto da jornalista Telma Elita e do repórter fotográfico Neno Canuto.

A exposição seguirá aberta até setembro. O horário de visitação monitorada é das 8h às 17h às terças, quintas e sextas-feiras e das 8h às 21 nas quartas. Aos sábados, domingos e feriados das 13h às 17h.

Ações do documento