Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2019 novembro Canoa de Tolda: Símbolo do Velho Chico vira obra de arte para premiação do Circuito
30/11/2019 - 12h25m

Canoa de Tolda: Símbolo do Velho Chico vira obra de arte para premiação do Circuito

Troféus serão entregues aos vencedores das mostras competitivas do maior evento da sétima arte em Alagoas neste domingo (1º)

Canoa de Tolda: Símbolo do Velho Chico vira obra de arte para premiação do Circuito

Texto de Deriky Pereira 

Importante símbolo do rio São Francisco, a Canoa de Tolda é uma embarcação herdada da colonização holandesa no Nordeste, responsável pelo transporte de mercadorias e cargas entre o Alto e o Baixo São Francisco, região da qual Penedo faz parte. Movida pela força do vento, a embarcação é composta por duas velas, tábua de bolina, moitão e a tolda, que servia para abrigar alimentos.

 

A canoa Luzitânia, uma das mais antigas canoas de tolda, foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 2008, pode ser vista no município de Brejo Novo, em Sergipe. Ela é um dos três exemplares da canoa de tolda em todo o mundo. E toda a história da canoa foi objeto de estudo e pesquisa do alagoano Fredy Correia, artista responsável pela criação do troféu do Circuito, desde o início em 2011, quando era somente o Festival de Cinema Universitário de Alagoas.

 

Entre 1975 e 1982, época das oito primeiras edições do Festival do Cinema Brasileiro, o troféu era o Barco de Ouro. “Ele era de madeira, imenso, pesado e não apresentava nenhuma característica de um barco nativo da região do rio São Francisco. Então, passamos a estudar uma maneira de fazer um objeto que representasse melhor o festival de cinema, mas também sobre a história da cidade. Foi quando fizemos a canoa de tolda”, explicou o artista.

 

Hoje, são dois modelos de troféu criados exclusivamente para o evento: um é feito em latão polido e o outro em aço inox escovado, ambos com a base de granito preto. “A escolha da base de granito preto é devido à importância que o troféu traz, então ele é mais formal e imponente”, diz ele. Já o segundo tem a base feita com resina transparente, enquanto a canoa é confeccionada com chapas de aço inox soldadas. “A base em resina transparente é uma alusão à água e deixa o troféu ainda mais leve”, complementou Fredy.

 

Ele explicou ainda que a canoa representa um símbolo de resistência. “Fizemos uma pesquisa, um estudo e comparação com a resistência do festival, pois fazer um evento como esse em Penedo é estar resistindo e lutando. Era preciso ser muito bravo para segurar essa onda. Aí, a gente lê um pouco da história do pai do Sergio [Onofre, coordenador geral do Circuito], do próprio Sergio, foi como uma homenagem ao Rio e ao símbolo do Rio que serviu para o contribuir com o desenvolvimento naquela época”, disse o artista.

 

Os troféus serão entregues aos vencedores das mostras competitivas neste domingo, dia 1º, na solenidade de encerramento do Circuito Penedo de Cinema. O evento será realizado a partir das 21h, na Sala de Exibições montada na Praça 12 de Abril.

 

Eu viro Carranca para Defender o Velho Chico

 

E em meio à esse clima ambiental, como parte da programação do Circuito Penedo de Cinema, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) deu prosseguimento com a campanha Eu Viro Carranca para Defender o Velho Chico. A iniciativa criada pela entidade surgiu para destacar o 3 de junho, dia nacional em defesa do São Francisco, e teve como objetivo trazer à sociedade e à população o sentimento de pertencimento e defesa para o Rio. Além disso, realizadores dos filmes também recebem troféus em forma de carrancas.

 

“Não é uma campanha contra ninguém. É uma campanha de todos, a favor e em defesa do Rio. Do ano passado para este, percebemos a necessidade de incluirmos no Circuito, principalmente na mostra ambiental, a questão da campanha. Percebemos um grande número de estudantes e professores que participam e essa é uma oportunidade de o comitê divulgar suas ações e, principalmente, mobilizar a sociedade neste período da mostra”, explicou o vice-presidente do Comitê, Maciel Oliveira.

 

Ele disse ainda que a campanha tem grande aceitação do público e que o Comitê se orgulha em fazer parte do maior evento da sétima arte realizado em Alagoas. “É com grande sucesso, mais uma vez, que o circuito está acontecendo e ficamos muito felizes em fazer parte desse sucesso. Além disso, a campanha é um grande sucesso, já era sucesso no mês de junho em alusão à data, e agora mais sucesso ainda no Circuito”, complementou.

 

O vice-presidente do CBHSF apontou ainda que existem planos de ampliação para a campanha referente às próximas edições do Circuito Penedo de Cinema. “Queremos, além de permanecer, queremos fortalecer o Circuito ampliando ainda mais algumas ações para o próximo ano”, concluiu.

 

O Circuito é uma realização do Instituto de Estudos Culturais, Políticos e Sociais do Homem Contemporâneo (IECPS), da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), com patrocínio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), da Prefeitura de Penedo e do Sebrae Alagoas.

 

* Colaboração de Natália Oliveira

Ações do documento