Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2019 setembro Última semana das exposições Arca Zoomórfica e Signos Mimético-Poéticos
24/09/2019 - 10h06m

Última semana das exposições Arca Zoomórfica e Signos Mimético-Poéticos

Mostras ficam em cartaz até sexta-feira (27), no Complexo Cultural Teatro Deodoro

Última semana das exposições Arca Zoomórfica e Signos Mimético-Poéticos

Texto de Hannah Copertino

Depois de pouco mais de um mês em cartaz e quase dois mil visitantes, as exposições Arca Zoomórfica, do artista José Paulo, e Signos Mimético-Poéticos, de Robertson Dorta, estão se despedindo da galeria de artes do Complexo Cultural Teatro Deodoro, Centro de Maceió. As mostras se encerram na sexta-feira (27/09).

As visitas podem ser feitas nos seguintes horários: de segunda a sábado, das 8h às 18h; às quartas, das 8h às 20h; e, aos domingos e feriados, das 14h às 17h. Grupos de escolas e instituições sociais ainda têm tempo de agendar a visita guiada pelo escolasditeal@gmail.com ou (82) 98884-6885. A entrada e o agendamento são gratuitos.

Sobre a exposição Arca Zoomórfica:

A exposição Arca Zoomórfica reúne mais de 100 esculturas feitas com materiais diversos pelo artista José Paulo. Metais, madeira, plástico, parafusos, hélice de ventilador, corrente de moto… tudo isso se torna suporte para construção das obras de José Paulo, que retira das ruas o que seria lixo para transformar em arte.

Paulo nasceu na Fazenda Bonito, em Chã Preta, município do estado de Alagoas. Na infância, teve seus primeiros contatos com a arte, fazia pincéis com gravetos e pelos de rabo de cavalo para pintar santos das casas da vizinhança, em troca recebia ovos, pintos, galinhas… Ainda criança mudou-se com a família para Maceió. Dedicou-se à marcenaria, profissão que abriu caminho para a serralharia. É um artista autodidata.

Em 2013, vislumbrou o potencial de construir seus bichos-brinquedos ao se deparar com uma galinha feita de metal. Lançou-se ao experimento, um desafio às suas habilidades de serralheiro, fez outra parecida para ver as possibilidades… E foi assim que começou a libertar os bichos do seu imaginário. Em seu ateliê no Bom Parto armazena, além de metais, madeiras, sucatas e outros materiais, armazena sonhos.

Sobre Signos Miméticos-Poéticos:

A exposição Signos Mimético-Poéticos apresenta 100 poesias visuais construídas a partir de dois signos – a exclamação (!) e a interrogação (?) apresentadas em folhas de papel sulfite, feitas a lápis divididas em grupos que passeiam entre os temas da literatura, música, oriental, animais, cinema e vida cotidiana.

Robertson Dorta é poeta visual, escritor, escultor, fotógrafo e produtor cultural alagoano, nascido em Maceió. Desde 2001, desenvolve projetos de curadoria e montagem de exposições. Tudo começou, conta ele, em 1996, quando participou da produção da 1ª Mostra Internacional de Poesia Visual de Alagoas, na Rede Ferroviária Federal em Maceió, quando conheceu o poeta visual Philadelpho Menezes. Foi quando começou a produzir suas poesias, brincando com o formato das palavras e sinais.

Em 2003, tornaram-se públicas algumas poesias visuais, ao ilustrarem capas de livros sobre educação, lançados no IV Salão Alagoano do Livro e da Arte. Em 2008, pela primeira vez, Dorta apresentou a exposição individual Signos Mimético-Poéticos, na Galeria de Arte SESC Centro em Maceió, esta circulou por várias instituições de Alagoas (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, Universidade Federal de Alagoas-UFAL, Faculdade São Tomas de Aquino – FACESTA etc.). A cada circulação, uma nova série de poesias visuais foi apresentada aos visitantes.

 

Ações do documento