Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2021 NOVEMBRO “Vamos Jaraguanear com Sextas Clássicas” leva diversidade musical para a Praça Dois Leões
25/11/2021 - 11h21m

“Vamos Jaraguanear com Sextas Clássicas” leva diversidade musical para a Praça Dois Leões

Programação de cultura para o bairro histórico segue pela terceira semana

“Vamos Jaraguanear com Sextas Clássicas” leva diversidade musical para a Praça Dois Leões

O Instituto Alagoa do Sul, com apoio do Governo de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), via Lei Aldir Blanc, apresenta nesta sexta (26) e no sábado (27), na Praça Dois Leões, em Jaraguá, a partir das 19h30, shows em todos os ritmos, no projeto Vamos Jaraguanear com a Sexta Clássica. No palco, o espetáculo está garantido com grupos de percussão, batuque, dança do coco, samba de botequim. Até clássicos, como o encontro entre um saxofone e um grupo de percussão, e até uma filarmônica. 

Na sexta (19), a partir das 19h30, na abertura, o maestro alagoano Elizaubo  recebe o grupo de percussão e batuque AfroCaeté com seu saxofone tocando o clássico Bolero de Ravel. O encontro fez sucesso desde a abertura do projeto Vamos Jaraguanear na Sexta Clássica, nos três últimos finais de semana. Nos próximos dias 3 e 4 de dezembro, serão as apresentações finais. Na sexta também sobem no palco para concertos da banda da Guarda Municipal e a centenária orquestra filarmônica Santa Cecília, de Marechal Deodoro, agora sob a batuta de jovens músicos.

SAMBA E BATUQUE

No sábado (27), as palavras de ordem são: samba, batuque e coco na praça. O grupo Batuque Mundaú abre a noite, às 19h30, com um show de percussão de jovens e adolescentes da Comunidade Mundaú, no bairro Vergel do Lago. Os meninos tocam juntos desde 2014, sob a batuta do oficineiro Dalmo Almeida. Na sequencia, às 20h30, é vez do grupo Coração de Mainha, do Jacintinho, inspirado na dança e música do coco, sob o som ritmado de muitos pandeiros. Fundado em setembro de 2018, o grupo nasceu de duas turmas de pandeiro do Centro de Belas Artes de Alagoas (Cenarte). A noite fecha com o show do grupo Samba da Periferia. Com mais três anos de rodas de samba, a tradicional banda da região do Prado, vai soltar o samba na praça. O grupo, na verdade, é um movimento popular e cultural, voltado para a valorização dos músicos e da música alagoana, sempre na cadência do samba.

Ações do documento