Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Governo e Ufal abrem VII Bienal do Livro em noite de música e poesia
20/11/2015 - 09h40m

Governo e Ufal abrem VII Bienal do Livro em noite de música e poesia

Evento conta com extensa programação cultural até o dia 29

Governo e Ufal abrem VII Bienal do Livro em noite de música e poesia

Ao lado da primeira-dama, Renata Calheiros, o governador Renan Filho visitou estandes e conversou com o público. (Foto: Márcio Ferreira)

Texto: Teresa Machado

Fotos: Márcio Ferreira

Com o tema 'Palavras, sons, imagens: universos de sentidos', foi aberta, na noite desta sexta-feira, 20, a VII Bienal Internacional do Livro de Alagoas, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, localizado no bairro de Jaraguá.

O evento, que segue até o dia 29 de novembro, é realizado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), por meio da Edufal e da Fundação Universitária de Desenvolvimento e Extensão e Pesquisa (Fundepes), Governo do Estado e Prefeitura Municipal de Maceió. A entrada é gratuita. 

Durante a solenidade de abertura, foi realizada uma homenagem aos 200 de Maceió e ao líder negro Zumbi dos Palmares, alusiva ao Dia Nacional da Consciência Negra, com a camerata Ero Dictus executando a música Zumbi, de Jorge Ben Jor, e apresentação cultural do grupo Arafunfun Omangerê.

A cerimônia também contou com um recital de poesias pela escritora, poetisa e atriz Elisa Lucinda.

“A Bienal do Livro expõe Alagoas para o Brasil, para o mundo, a força interior do nosso povo. Com amor no coração, com organização e com a capacidade do alagoano, as coisas em nosso estado também podem dar certo. Essa Bienal é sucesso pela equipe de entusiastas da literatura”, declarou o governador Renan Filho.

Amante da boa leitura e incentivador da prática entre os alagoanos, Renan Filho ressaltou a expectativa de 300 mil visitantes durante o evento.

“Ler um livro é abrir uma porta e uma janela para qualquer lugar do mundo. É possibilitar que pela imaginação nós troquemos informações, muitas vezes com nós mesmo, e ao final daquela leitura, sem dúvida alguma, nós somos melhores do que no início dela. Esta Bienal está à altura da expectativa do povo alagoano, graças a uma ação conjunta, um trabalho coletivo que mostra o que temos de melhor”, frisou o governador.

Este ano, a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), traz para a Bienal as atividades realizadas Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos, em comemoração aos 150 anos do equipamento cultural. O espaço está preparado para receber os visitantes com uma vasta programação.

"Durante os nove dias da Bienal, a Secretaria de Cultura estará realizando ações de incentivo à leitura e divulgando os projetos socioculturais da nossa biblioteca. A Bienal é o maior evento literário da nossa capital, e nós iremos receber os visitantes de maneira especial, mostrando também a força da cultura alagoana", afirmou a secretária Mellina Freitas.

A diretora Edufal, Stela Lameiras, agradeceu o apoio da gestão e de todos os parceiros.

“Foi um trabalho grandioso para promover um evento com esta magnitude. Eu estava ansiosa para despertar deste sonho que hoje se torna realidade”, disse.

O reitor Eurico Lôbo, da Ufal, destacou o aumento da dimensão do evento. 

“A Bienal ultrapassou os muros da Universidade e hoje é patrimônio da sociedade alagoana. Que tenhamos uma semana muito produtiva, rica, de muita leitura!”, falou.

Nesta edição, 133 estandes e mais de 30 mil títulos de livros das mais diversas áreas, espalhados pelo pavilhão, durante nove dias de evento que também conta com evento palestras, cursos, oficinas, apresentações culturais, debates com autores, lançamentos, exposições e a comercialização de livros. Uma programação que irá atrair o público infantil, jovem e adulto, com encontro com autores nacionais e internacionais.

Ações do documento