Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Biblioteca Pública Estadual garante diversidade, cultura e acessibilidade
08/11/2015 - 10h30m

Biblioteca Pública Estadual garante diversidade, cultura e acessibilidade

Com diversos projetos de estímulo a leitura, espaço proporciona possibilidades e novas experiências aos visitantes

Biblioteca Pública Estadual garante diversidade, cultura e acessibilidade

Biblioteca Pública Estadual é um convite para o mundo da leitura e do saber. (Foto: Neno Canuto)

Texto: Rafaela Pimentel

Fotos: Neno Canuto

É como se sentir em casa. Entrar, pegar um livro direto da prateleira, conhecer e se descobrir em cada história, se encantando com os detalhes por trás da arquitetura que relembra a vida e costumes do conhecido Barão de Jaraguá. A Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos se tornou uma terceira casa para os alagoanos. É lá que o público se complementa, onde a educação da família e da escola ganham um elemento novo: um ambiente que respira diversidade, cultura e acessibilidade.

Tudo foi pensado para proporcionar aos visitantes conhecimento e, principalmente, possibilidades. Possibilidades de leitura, entretenimento, lazer, oportunidade profissional e mais ainda de descoberta pessoal. Ler um bom livro se tornou uma experiência prazerosa e cotidiana. Prova disso, são os mais de 70 visitantes que hoje a Biblioteca Estadual recebe diariamente, 75% a mais do que ela conseguia atrair no inicio deste ano.

 

 

A leitura se expandiu e ganhou mais importância entre os alagoanos. A necessidade em propagar essa ideia para o maior número de pessoas deu espaço para o surgimento de vários projetos. De crianças a adultos, a proposta é oferecer uma pluralidade de ações para além do campo da leitura em si. Para isso, a cada dia da semana são desenvolvidas atividades para públicos específicos, que são convidados a conhecer a história da Biblioteca e da própria literatura através do cinema, da poesia, do cordel, do teatro e até mesmo da música.

 

“Reunimos diversos projetos com o objetivo de incentivar a permanência do cidadão no cenário político, cultural e do desenvolvimento econômico do Estado. Uma vez que estamos estimulando as pessoas a ficar antenados às notícias, enriquecer seu vocabulário por meio da leitura de livros, vamos construir indivíduos pensantes que conseguem transformar ideias em ações”, destaca a coordenadora da Biblioteca Pública Estadual, Mira Dantas.

 No horário de almoço a programação já começa cheia de cultura. O compromisso aqui é apenas de relaxar, descansar e aproveitar. De segunda à sexta-feira, de 12h às 14h, o projeto Cinemateca toma conta do auditório da Biblioteca Pública com a exibição de curtas-metragens produzidos, em sua maioria, por artistas alagoanos. Outra novidade para os visitante é o Bibliotour, um passeio turístico e histórico pelos segredos escondidos nos mais de 50 cômodos distribuídos pelos três andares do prédio.

 Pensando no público mais velho, a Biblioteca também deu vida ao projeto Cordel e Prosa. Representado na figura do cordelista e patrimônio vivo do Estado, Jorge Calheiros, a ideia da ação é promover a literatura de cordel e inspirar os visitantes através da arte. Ainda comandado pelo cordelista, o espaço desenvolveu o projeto Coco Memória e Cordel por acreditar que a sabedoria da cultura popular do cordel não pode se perder na história. Nele, Calheiros repassa para duas alunas o seu conhecimento na literatura de cordel e como ele pode ser musicado.

 

 

As crianças e os adolescentes também não ficaram de fora do novo conceito de experiências culturais divulgados pela Biblioteca Pública Estadual. O projeto Hora do Conto e Recital de Poesias são as grandes atrações de incentivo, com direito a exposição de livros, momentos de leitura e recitais voltados para o público mais jovem. 

 Mais do que estimular o hábito de leitura desde o inicio da formação das crianças, os projetos também atuam como uma maneira de aproximar os visitantes das obras de escritores genuinamente alagoanos.

 “Muitos deles estão tendo o primeiro contato com os livros. É um espaço para eles folhearem, escolherem um livro e quem sabe despertar esse interesse pela escrita. Esse é o papel de uma Biblioteca Pública, um espaço aberto e de oportunidades para todos”, explica Mira Dantas.

 

 

Acessibilidade e Inclusão

O movimento foi crescendo, o espaço ganhou novos setores, equipamentos tecnológicos modernos e conseguiu ampliar o acervo literário para cerca de 70 mil obras. Hoje são mais de dez espaços diferentes, entre a área de acervo em obra rara, auditório, telecentros, sala de intinerância, acervo de livros de escritores alagoanos, obras infantis e edições em braile. Este último ambiente, contudo, talvez seja o resultado mais positivo da mudança: a garantia de acessibilidade para pessoas com necessidades especiais. 

 

Dos pisos táteis adaptados, estantes de altura baixa pensada para que todas as pessoas pudessem alcançar os livros na última prateira, até os acervos impressos em braile e os computadores com sistema de leitura de tela, o conceito de acessibilidade está presente em todos os lugares na Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos. 

 Não há distinções e muito menos espaço para a exclusão. A proposta é receber todas as pessoas em um mesmo ambiente e, sobretudo, oferecer as mesmas possibilidades.

 Para fortalecer essa ideia, em parceria com a fundação Dorina, o espaço oferece ainda o projeto Biblioteca Acessível. São títulos impressos e em versão digital para que os visitantes com deficiência visual também possam contar com um suporte informacional na pesquisa de trabalhos escolares, universidade ou mesmo livros mais gerais. Um ambiente exclusivo no primeiro andar do prédio foi criado para facilitar o acesso a essas obras que tem o apoio de uma monitora para auxiliar os visitantes.

 

 

“É um espaço especial criado justamente para oportunizar e dar mais acessibilidade para esse público mais específico. A organização da sala, as disposições dos livros na horizontal, o espaço entre as obras nas estantes, tudo precisa ser olhado com atenção para garantir o máximo de aproveitamento de leitura”, afirma Niedja Lima, responsável pela área especial de obras em braile.

 Outro projeto que também faz parte do compromisso social defendido pela Biblioteca é o projeto de Inclusão Digital. Apesar de não estar voltado para pessoas com necessidades especiais, a ação também surgiu da vontade de ampliar as possibilidades para todos os cidadãos, principalmente, o público das comunidades mais carentes do Estado. A ideia é promover cursos de programas básicos como Excel, Power Point, Word, além de ensinar a otimizar as buscas em páginas da internet.

 Com essa proposta, além de que capacitar e informatizar os participantes, a Biblioteca Pública também busca por meio do projeto t ajudar a inserir jovens no mercado de trabalho. O curso é aberto para todas as pessoas e para participar basta que o candidato entre em contato com a coordenação da Biblioteca pelo número 3315-7877 e deixar seu nome e telefone para o cadastro de reserva do projeto.

 Biblioteca na Bienal do Livro

Paralelo aos programas internos diariamente oferecidos pela Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos, neste ano, o espaço será o equipamento cultural representante da Secretaria do Estado da Cultura (Secult) na VII Bienal do Livro. Um estande irá promover a leitura e escritores alagoanos através de lançamentos de livros, bate-papo entre escritores, exposições de obras já lançadas e momentos de palestra sobre a importância da leitura nas diferentes fases. O evento acontece do dia 20 a 29 de novembro.

 

 

Quem também ganham destaque na Bienal são os participantes da Oficina de Leitura Corporal, uma atividade desenvolvida pela Biblioteca, que vão ter a chance de apresentar para o público seu produto final, a peça teatral “As Gracilianas, um cortejo da literatura alagoana. Para relembrar a importância do compromisso social, a Biblioteca preparou um dia exclusivo para leitura de contos direcionados para a diversidade social.

 “Será um dia destinado a inclusão. Queremos mostrar para o público, os contos e histórias sob outra perspectiva sejam eles personagens negros ou com alguma necessidade especial. A ideia é que essas pessoas também se sintam incluídas na sociedade. Esse para isso que a Biblioteca Pública tem trabalhado, para incentivar e desenvolver cidadãos capazes de influenciar e agir no seu próprio meio”, ressalta a coordenador Mira Dantas.

 Serviço

Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos

Horário de funcionamento: De segunda à sexta-feira, de 9h ás 17h

Endereço:  Praça Dom Pedro II, S/N - Centro

Contato: 3315-7877 ou e-mail: bpe.alagoas@gmail.com

Redes Sociais: https://www.facebook.com/BPEGracilianoRamos/?fref=ts

Ações do documento