Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Misa: 35 anos preservando a história e de Alagoas em imagens e sons
03/09/2016 - 12h50m

Misa: 35 anos preservando a história e de Alagoas em imagens e sons

Prédio histórico resgata o passado em imagens e sons

Misa: 35 anos preservando a história e de Alagoas em imagens e sons

O prédio histórico de 150 anos foi transformado em museu em 1981, por iniciativa do teatrólogo Bráulio Leite Júnior (Fotos: Adaílson Calheiros)

Texto de Daniel Borges

Uma aula de história. É assim como se sente quem visita o Museu da Imagem e do Som de Alagoas (Misa), localizado na Praça Dois Leões, coração do histórico bairro de Jaraguá e zona portuária da capital alagoana. Patrimônio histórico e cultural, o antigo edifício resgata o passado e preserva o futuro das experiências históricas de Alagoas em imagens e sons.

 

Sua história como museu começa em 1981, quando foi idealizado pelo teatrólogo Bráulio Leite Júnior, mas o prédio histórico já chega há quase 150 anos. Construído em 1869, o casarão de projeto arquitetônico do engenheiro Carlos Mornay foi criado para ser ocupado pelo Consulado Provincial, durante o Brasil Imperial. Também foi sede da Recebedoria Fiscal e abrigou a Inspetoria Fiscal, até virar museu, passando por várias transformações ao decorrer do crescimento da cidade.

 (Foto: Felipe Medeiros)

O Misa faz parte da estrutura da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), que inclui o Museu Palácio Floriano Peixoto (Mupa), Memorial à República, Memorial Teotônio Vilela e a Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos. O espaço é composto por um hall de exposições; setores de serviços de áudio, imagem e pesquisa; ala de produção e catalogação e um auditório para realização de eventos.

 

O seu acervo é composto por documentos e fotografias antigas de Alagoas, equipamentos audiovisuais, fitas de áudio e videocassetes, discos de vinil, negativos, slides antigos, filmes 16mm e Super 8. O equipamento também conta com seções dedicadas ao radialista Edécio Lopes e ao jornalista Valmir Calheiros

 

Diariamente, estudantes e turistas procuram o museu em busca de objetos de pesquisas e para conhecer a história do audiovisual de Alagoas.

 

Para o paulista Leadro Omena, 35 anos, a visita é um mergulho no passado, que alimenta a memória de como se vivia na época dos aparelhos exibidos. “Local imperdível. Encontrei um grande acervo de objetos que fizeram parte de nossa história mundial, incluindo os grandes rádios de válvula, prensas, máquinas de escrever, gravadores e aparelhos de som”, destacou.

 

Débora Teixeira, de Campo Grande, também adorou a visita. “Amo conhecer estes espaços culturais nas cidades que visito. O Museu da Imagem e do Som de Alagoas é muito legal e possui um acervo incrível. Recomendo”, disse.

 

Projetos

 

Como meios de interação mais ativa do público, o Misa também desenvolve projetos para ocupação do espaço. Além dos inúmeros eventos e exposições realizadas ao longo do ano, os alagoanos também podem participar do Cine Misa, com exibições de produções do cinema alagoano e nacional; Misa Acústico, que estimula e valoriza o músico e a produção musical local, e a Oficina de Preparação de Atores, que já está em sua segunda edição.

 (Foto: Adaílson Calheiros)

O Museu da Imagem e do Som está localizado na Rua Sá e Albuquerque, 275, no bairro do Jaraguá, em Maceió. O espaço é aberto ao público de terça a sexta-feira, das 8h às 17h, e nos finais de semana e feriados, das 13h às 17h. Visitas guiadas devem ser agendadas com antecedência. Mais informações pelo telefone: (82) 3315-7882.

Ações do documento