Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Produção de audiovisual conta com o apoio irrestrito do Governo de Alagoas
07/11/2015 - 10h30m

Produção de audiovisual conta com o apoio irrestrito do Governo de Alagoas

Governador Renan Filho participou da noite de premiação do V Festival de Cinema Universitário de Alagoas

Produção de audiovisual conta com o apoio irrestrito do Governo de Alagoas

Lais Araújo foi a ganhadora do Prêmio Velho Chico de Cinema Alagoas com 'Cidade Líquida'. (Foto: Márcio Ferreira)

Texto: Cadu Epifânio

Fotos: Márcio Ferreira

O governador Renan Filho assegurou, na noite deste sábado, 7, no município de Penedo, que o fomento à produção de audiovisual em Alagoas vai continuar com o irrestrito apoio do Governo de Alagoas. Ele esteve presente na solenidade de premiação do V Festival de Cinema Universitário de Alagoas. Uma realização conjunta do Governo do Estado, com a Universidade Federal de Alagoas e Prefeitura de Penedo.

Nesta edição, o ator alagoano Jofre Soares (in memorian) foi o homenageado e a mostra de cinema apresentou 24 curtas permeando diversas categorias como ficção, documentário e animação. Em 2016, a parceria dos entes federativos garante uma nova edição do festival universitário, como a instituição do 9º Festival Brasileiro de Cinema de Penedo.

Para Renan Filho, que se revelou um apaixonado pela sétima arte, o festival expõe da melhor forma possível a cultura e os costumes do povo alagoano, carregando, sobretudo, a imagem e a identidade de Alagoas.

  

 “Vamos seguir incentivando a cultura. O Festival de Cinema de Penedo é um dos grandes eventos que conta a história de nosso povo e com o apoio do Governo de Alagoas, com a força da universidade [Ufal], e Prefeitura de Penedo, comunidade que trabalha com o audiovisual, definitivamente, consolidamos o festival”, parabenizou o governador.

 Por meio do apoio do Estado, a cadeia de audiovisual assegura o fomento ao segmento e uma perenização de produção de curtas e longas metragens no Estado de Alagoas. Renan Filho não esqueceu de comentar a capacidade de inserção social que a cultura tem e que ele quer para o estado.

 “Nada é mais capaz de apresentar a essência de um povo, do que a arte, a cultura e o cinema”, salientou o governador.

 Dentro deste sentimento de fomento a cultura, como negócio e mobilizador social, ele lembrou de projetos importantes que estão sendo tocados, em parceria entre Estado, União e Município: projeto de urbanização da orla, centro de convenções e obras de conservação do centro histórico de Penedo (PAC das Cidades Históricas).

 “Contem integralmente com o governo estadual para multiplicarmos os recursos para Penedo e para eventos como este para darmos ao festival o tamanho que ele merece”, completou o governador Renan Filho.

 Sergio Onofre, da organização do evento, agradeceu o envolvimento dos parceiros que colaboraram homogeneamente com a realização do festival. A mostra começou no último dia 3 e se encerrou neste sábado, sendo consolidado pelo grande público.

 “A luta agora é pela instituição de um curso de audiovisual na universidade, em virtude do crescimento exponencial da cadeia produtiva do cinema”, comentou Onofre.

 

 

Por sua vez, o prefeito Marcius Beltrão confirma que a união entre os entes federados vai solidificar os festivais de cinema na cidade.

Premiação

Após a apresentação do curta “Mister, Abracadabra”, onde Jofre Soares fez uma homenagem ao cinema mudo com muito bom humor, os premiados foram conhecidos. O júri popular cedeu uma menção honrosa ao filme ‘Dialetos, de Werber Bagetti, de Alagoas. O melhor filme, segundo o mesmo júri popular, foi ‘Ensaio Sobre Minha Mãe’, de Jocimar Dias Jr. (RJ).

 

 O júri oficial deu menção honrosa a ‘Muro’, de Eliane Scardovelli (SP). Os melhores filmes da mostra foram, agora sob o olhar do júri oficial: no segmento de ficção, ‘Look’, de Rafael Bizarro (SP); ‘Do que é sensível’, de Ana Zahmer (RJ), foi o melhor documentário; e o prêmio de melhor animação ficou com ‘Dialetos’, de Weber Bagetti (AL).

 Por fim, o Prêmio Velho Chico de Cinema Alagoano ficou com ‘Cidade Líquida’, de Laís Araújo.

Ações do documento