Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Quarenta e nove artistas alagoanos se inscrevem para Patrimônio Vivo de Alagoas
12/05/2015 - 07h41m

Quarenta e nove artistas alagoanos se inscrevem para Patrimônio Vivo de Alagoas

Relação dos candidatos foi divulgada nesta segunda (11), no Diário Oficial do Estado; inscritos concorrem a quatro vagas nesta edição do edital

Quarenta e nove artistas alagoanos se inscrevem para Patrimônio Vivo de Alagoas

Patrimônio Vivo de Alagoas, a mestra rezadeira e benzedeira Dona Anézia faleceu ano passado aos 112 anos (Foto: Arquivo Tércio Capello)

Renata Bertolino

A Secretaria de Estado da Cultura divulgou, na edição do Diário Oficial do Estado (DOE/AL) desta segunda (11), a relação dos quarenta e nove candidatos inscritos no processo de seleção para Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Alagoas (RPV/AL). As inscrições realizadas têm um prazo de até trinta dias para qualquer eventual impugnação.

O livro de Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Alagoas é um reconhecimento oficial de mestres e mestras das mais variadas tradições culturais como Pastoril, Coco de Roda, Reisado, Guerreiro, – são escultores, santeiros, repentistas, artesãos, sanfoneiros, músicos, poetas e cordelistas – que dedicaram a vida a resguardar o que Alagoas possui de mais valoroso, a identidade cultural do estado.

Para a secretária de estado da Cultura, Mellina Freitas, os mestres e mestras do Patrimônio Vivo são fundamentais para a preservação da nossa cultura tradicional. “Eles são o resgate da nossa identidade cultural. O Registro é um gesto de reconhecimento dessa representatividade na cultura popular alagoana", destacou.

A Lei n° 6513 de 2004 determina que 40 mestres do folclore alagoano sejam contemplados com uma bolsa vitalícia no valor de um salário mínimo e meio. As quatro vagas disponíveis nesta edição do edital se referem aos artistas considerados patrimônio vivo que faleceram no ano passado.

O Mestre Everaldo Lins, de 63 anos, conhecido como mestre Vivel, era mestre de Boi de Carnaval; Sebastião Amaro dos Santos, 80 anos, vulgo Pião do Samba, foi mestre de Samba de Matuto; Anézia Maria da Conceição, a Dona Anézia, como era conhecida, faleceu aos 112 anos e dedicou sua vida à reza, foi benzedeira e parteira; Raul Vicente de Queiroz, Seu Raul Vicente, viveu até 92 anos como poeta e violeiro.

Seleção

Após o período para impugnação das inscrições, cinco representantes de entidades relacionadas à Cultura serão responsáveis por analisar e avaliar os candidatos. A partir do resultado, serão divulgados os nomes dos inscritos habilitados.

Os documentos de comprovação de exercício das atividades culturais desenvolvidas pelos candidatos nos últimos vinte anos passarão por uma avaliação para, então, ser conferido o benefício, com base nos conhecimentos ou técnicas necessárias para a produção e/ou para preservação de aspectos da cultura tradicional ou popular alagoana.

A diversidade de inscritos impressiona. Dos 49 candidatos, faz parte da relação um santeiro, nove violeiros repentistas, duas mestras de pastoril, duas rendeiras, dois poetas cordelistas, quatro mestres guerreiros e um escritor.

A lista ainda conta com cinco artesãos, duas rainhas guerreiras, um cantor, compositor e sanfoneiro, um palhaço guerreiro, um pintor primitivo, um mestre de Coco de Roda, um escultor, um Mateu e mestre de guerreiro, seis sanfoneiros, um maestro de banda de música, um contra mestre guerreiro.

Fechando a relação de candidatos temos também um sanfoneiro, poeta e repentista, um repentista, uma mestra de ciranda, baiana e pastoril, um mestre de Coco, Toré e Quilombo, um rezador, um violeiro e um violeiro repentista e cordelista.

Ações do documento