Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Último Chá de Memória de 2017 abordará fatos e mitos do ano da emancipação
19/12/2017 - 12h19m

Último Chá de Memória de 2017 abordará fatos e mitos do ano da emancipação

Jornalista Enio Lins destacará tema, durante evento, no Arquivo Público de Alagoas, às 19h

Último Chá de Memória de 2017 abordará fatos e mitos do ano da emancipação

Última edição deste ano do Chá de Memória apresenta o jornalista Enio Lins para conversar sobre fatos e mitos de 1817, ano de emancipação política de Alagoas

Texto de Maria Barreiros

O projeto Chá de Memória apresenta em sua última edição do ano nesta terça-feira (19) o arquiteto, jornalista e atual secretário de Estado da Comunicação, Enio Lins, para conversar sobre os fatos e mitos de 1817, ano de emancipação política de Alagoas. O evento ocorre às 19h, no Arquivo Público de Alagoas (APA).

 

Estudantes, professores, pesquisadores, toda a comunidade acadêmica e público em geral, tiveram em 2017 diversas possibilidades de ouvirem, aprenderem e trocarem informações sobre temas que fortalecem a alagoanidade. 

 


O Chá de Memória, entre outras fatores, possibilita a aproximação do conhecimento de ilustres alagoanos que fizeram história no Estado, no Brasil e no mundo.

 


De acordo com Enio Lins, esse tema está cercado de fatos e mitos, e é sobre o assunto, que ele irá bater um papo com o público do Chá de Memória, de forma interativa e até divertida.

“Vamos abordar a questão do mito da revolução pernambucana de 1817 e as consequências desse movimento para a emancipação de Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe, e a definição, de todo o mapa do Nordeste, ainda naquele século, e que marcará daí pra frente o desenho dos limites provinciais do século XIX e estaduais, no século XX,” ressaltou Lins.

 

"O Chá de Memória é um marco de uma nova conduta de aproximação adotada pelo Governo de Alagoas, por meio do Gabinete Civil, possibilitando uma relação mais direta com a comunidade alagoana”, disse Wilma Nóbrega, superintendente do Arquivo Público.

 

 

Ações do documento